Fale Conosco pelo MSN ou Skype

 15 DE AGOSTO DE 2018

Email
HOME
QUEM SOMOS
Capacitação
Consultoria
PESQUISAS
NOTÍCIAS
Editorial
Destaques
Artigos / Entrevistas
Logística
Trânsito
Multimodalidade
Empresas
Comex - Mundo
Economia
Mercosul / Cone Sul
Tecnologia
Política
Legislação
Eventos e Cursos
Agência Intelog
ASSINE GRÁTIS
TODAS EDIÇÕES
INTELOG WIDGET
INTELOG TICKER
RSS
Entre em Contato
Tornar página inicial
Adicionar aos favoritos
Mapa do Portal
Recomendar
Imprimir esta página
Translate This Page

  Tempo



 

  Ferramentas

Calcule o tempo e as rotas para sua viagem
Show My Street - Passeio virtual pelas ruas do mundo
Flightradar 24 - Tráfego Aéreo em Tempo Real
Dados e Informações de Todos os Países do Mundo - IBGE
Veja a hora em tempo real no mundo todo - TimeTicker.com
Leia jornais de todo o planeta - Newseum.org

  15/08/2018   Hidrovias do Brasil registra aumento de receita e EBITDA no segundo trimestre de 2018 - No período, empresa teve lucro de R$ 193 milhões.     15/08/2018   CPFL Energia registra alta de 265,5% no lucro do segundo trimestre de 2018, para R$ 450 milhões - Distribuidoras do Grupo registraram aum...     15/08/2018   Alunos do projeto “Seguindo em Frente” realizam colheita de hortaliças em Assis - Instituto Invepar e CART apoiam iniciativa que proporci...     15/08/2018   Tráfego é interditado no trevo da Câmara em nova etapa das obras de duplicação da rodovia Romildo Prado (SP-063), em Louveira - Intervenç...     15/08/2018   Supermercados desperdiçam R$ 3,9 bi em alimentos por ano, diz Abras - Os supermercados brasileiros desperdiçaram, no ano passado, o equiv...     15/08/2018   Estudo sugere Brasil aderir à redução de emissão de gases na aviação - Programa é promovido por agência das Nações Unidas.     15/08/2018   Eletrobras tem lucro líquido de R$ 2,83 bilhões no segundo trimestre - A Eletrobras apresentou lucro líquido de R$ 2,83 bilhões no segund...     15/08/2018   Eletrobras estipula em R$ 3,1 bi valor mínimo para leilão de SPEs - A diretoria executiva da Eletrobras aprovou os preços mínimos de vend...     15/08/2018   MME: leilão de distribuidoras da Eletrobras está mantido para dia 30 - O secretário executivo do Ministério de Minas e Energia (MME), Már...     15/08/2018   TÜV Rheinland apresenta serviços voltados para o mercado de energia solar - Empresa participa da Intersolar 2018 como líder mundial em ve...  
Translate to EnglishTraducir al EspañolÜbersetzung der Deutschen意大利語翻譯Traduit en FrançaisTraduci in Italiano

Clique para ampliar

15/04/2018

Demora na nomeação de diretores na Aneel gera preocupação no setor elétrico

Política

Translate to EnglishTraducir al EspañolÜbersetzung der Deutschen意大利語翻譯Traduit en FrançaisTraduci in Italiano

Nota

?

0 votos

Uma lentidão na nomeação de novos diretores para a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) tem atrapalhado os trabalhos do órgão regulador, que está com apenas três vagas preenchidas, das cinco de sua diretoria colegiada, o que gera queixas de agentes do setor.

A situação chegou a obrigar a agência a cancelar duas reuniões semanais de diretoria nos últimos 30 dias, devido à falta do quórum mínimo de três diretores exigido para qualquer decisão.

Além disso, o regulamento da Aneel define que é necessário ao menos três votos favoráveis para aprovar qualquer processo, o que paralisa discussões de todos assuntos para os quais não há unanimidade.

“Isso está preocupante, porque nós estamos diante de uma situação de paralisia do ente regulador por falta de quórum… se um diretor fica doente ou se ausenta por um período, não há condições de fazer reunião, e isso é muito complicado”, disse à Reuters o presidente da Associação Brasileira de Distribuidores de Energia, Nelson Leite.

O consultor legislativo da Câmara dos Deputados, Rodrigo Limp, já foi indicado pelo presidente Michel Temer para uma das vagas livres em dezembro, mas seu nome ainda não foi submetido a uma obrigatória sabatina no Senado, o que tem segurado a nomeação oficial.

Para a segunda vaga livre ainda não houve uma indicação, e os mandatos dos demais diretores, incluindo o diretor-geral, Romeu Rufino, vencem em agosto.

Procurada, a Aneel disse que não tem previsão sobre quando acontecerão as nomeações.

Executivo e Legislativo precisam convergir mais rapidamente para efetivar nomeações na agência, principalmente em um momento em que o governo tem prometido a privatização da Eletrobras e uma reforma no setor de energia, que demandam definições regulatórias, disse o sócio da área de energia do ASBZ Advogados, Rafael Janiques.

“Os diretores que ficaram estão sobrecarregados… e se o governo não for rápido, daqui quatro meses não tem nenhum diretor”, adicionou.

As reuniões semanais de diretoria da agência envolvem temas como reajustes de tarifas de distribuidoras, fiscalizações, aprovação de transações entre empresas do setor, regulamentações e outros.

Também tem crescido um temor sobre indicações políticas para o órgão regulador. A Reuters publicou em janeiro que o ex-presidente José Sarney (MDB) e o senador licenciado Edison Lobão se movimentam para influenciar a escolha de diretores.

“Agora, com o Moreira Franco (novo ministro de Minas e Energia) deve sair logo. O medo é indicação muito política e pouco técnica”, disse um especialista do setor, sob a condição de anonimato.

ELETROBRAS
Sem todas as vagas ocupadas, a Aneel viu travada no final de março a discussão de um processo que poderia levar à suspensão de empréstimos emergenciais que têm sido feitos para viabilizar a operação de distribuidoras de energia da Eletrobras no Norte e Nordeste até que as empresas sejam privatizadas.

O diretor-geral, Rufino, e o diretor Tiago de Barros votaram por suspender os empréstimos às subsidiárias da Eletrobras em Roraima e Rondônia, além da CEA, do Amapá, controlada pelo governo estadual, após as empresas terem ficado inadimplentes com obrigações no setor elétrico.

Mas o diretor André Pepitone foi contra paralisar os empréstimos, o que deixou a discussão do tema travada até que um novo diretor seja nomeado.

“A votação ficou em 2 a 1 e a deliberação do processo foi suspensa”, disse a Aneel em nota.

Os empréstimos às empresas da Eletrobras têm sido bancados por um fundo abastecido com cobranças nas tarifas, a chamada Reserva Global de Reversão (RGR).

Procurada, a Eletrobras disse apenas que “a questão está definida até que a Aneel agende um outro julgamento”.

Os financiamentos da RGR deverão ser pagos pelos compradores das distribuidoras após a privatização.

As empresas já receberam cerca de 3,8 bilhões de reais nesses empréstimos desde 2016, quando foi decidido que elas teriam direito a esse apoio até a privatização, devido às suas deterioradas condições financeiras.

Fonte: Reuters

 

Por REUTERS

 

Qual a sua avaliação?

0 Comentários - Faça o seu comentário

Voltar

Compartilhar

Clique para ampliar

Leia Também

"Precisamos fazer esse acerto, é referente ao Metrô"

Temer admite receio em assinar decreto de relicitação de obras

Ministro Moreira Franco defende abertura do mercado livre

Disputa judicial por risco hidrológico deve seguir até 2019

Agronegócio vai novamente ao STF contra tabela do frete após sanção de Temer

Hidrovias do Brasil registra aumento de receita e EBITDA no segundo trimestre de 2018

CPFL Energia registra alta de 265,5% no lucro do segundo trimestre de 2018, para R$ 450 milhões

Alunos do projeto “Seguindo em Frente” realizam colheita de hortaliças em Assis

Tráfego é interditado no trevo da Câmara em nova etapa das obras de duplicação da rodovia Romildo Prado (SP-063), em Louveira

Supermercados desperdiçam R$ 3,9 bi em alimentos por ano, diz Abras

Mais...

 

Este site possui suporte ao formato RSS



Notícias em Tempo Real

   

Google
Pesquisa personalizada

       

 Powered by CIS Manager - Desenvolvido por Construtiva

Intelog - Inteligência em Gestão Logística